FELIZ ANO 2022!

Atualizado: Ago 31

Fazendo o Desdobramento Estratégico Pessoal

Feliz ano novo

Estes últimos dias do ano sempre foram para mim momentos de profunda reflexão. Pessoa eternamente insatisfeita, olho para o ano que passa e para tudo o que não fiz e olho para o ano que entra com renovado entusiasmo.


Ano após ano, perguntei-me porque tantas vezes as realizações pessoais ficavam aquém das profissionais. Entre outras razões suponho que será também porque não lhe dedicamos a mesma estruturada planificação.


Porque não aplicar o Desdobramento Estratégico para identificar o meu Propósito e a partir daí estabelecer o plano para o próximo ano? Porque não usar a metodologia Hoshin Kanri?


Aqui está a minha sugestão de fim de ano: Que olhem para o vosso Propósito, o vosso Verdadeiro Norte, estabeleçam o vosso rumo e sigam-no para um Feliz Ano 2019, 2020…


Apresento-vos a Maria:


A Maria vem de uma família numerosa do Norte e empurrada para os arredores de Lisboa por razões profissionais, vive há 3 anos numa pequena casa rural onde se lhe reúne o João cada fim de semana, liberto dos compromissos profissionais. Com quase 32 anos, recorda nostálgica, a sua infância…


Entre o Natal e o Fim de ano a Maria, percorre o trilho junto à aldeia e reflete no que é verdadeiramente importante para si…


Levo-vos pela mão da Maria, e do seu Hoshin, e proponho que façam o vosso, junto dos vossos entes queridos.


O Verdadeiro Norte


A reflexão da Maria levou à sua infância e à profunda nostalgia de uma infância com muitos irmãos e teve a visão clara que esse seria o seu objectivo para a próximas décadas: criar condições para criar uma família.


1. Áreas Prioritárias


Reflectindo na sua situação actual Maria teve clara a incompatibilidade do seu estilo de vida com esse mesmo objectivo; a sua relação com o João não estava “formalizada”, importante para os valores com que tinha sido criada; vivia no campo, longe de serviços, chegava a casa tarde e cansada e a sua condição profissional não lhe dava confiança de continuidade. Felizmente o terreno era seu e poderia alugá-lo, reforçando os seus rendimentos.


2. Iniciativas


Sim, sem dúvida que estas condições teriam de se ver alteradas se um dia queria viabilizar ter filhos! Então como o poderia fazer desde já?


o Estava certa de o João compreenderia a sua necessidade de celebrar o casamento, o assunto tinha já sido discutido. Era uma questão de o concretizar;


o Mudar de emprego ou procurar antes reforçar as suas competências numa área complementar à sua?


o E a casa: não se podia ter uma criança ali, sem acessibilidade a serviços de apoio, longe da mãe. Não: teria de regressar ao Norte e procurar onde pudesse criar raízes, para si e os seus.


Sim, o curso parecia-lhe sólido, para este 1º ano. Assim que regressasse a casa iria discuti-lo a fundo com o João.


3. O Compromisso


- Claro Maria! Há muito que quero casar e ter filhos. É mais que hora, ainda este ano comunicaremos a data aos nossos pais: que te parece a época da Páscoa?

- 23 de Março; o dia de nascimento do meu pai.

- Óptima ideia. Fica então assente…(censurado)

-...

- E a casa?

- Vou procurando eu uma alternativa a esta, terás então tu de procurar interessados para este terreno, vendemos ou alugamos.

- Preferia alugar, se for possível.

- Ok! Mas olha que vai levar uns bons meses, o mercado não está fácil.

- Sim, de qualquer forma temos tempo, queria também aproveitar para estudar este ano.

- Boa ideia, é a melhor altura, depois será difícil.

- Sim, pensei num reforço de competências em Lean, que te parece?

- Genial. Há muita procura no norte para esse tipo de profissionais, e complementa bem a tua formação. Sabes onde?

- Sei exactamente onde

- Ok. Temos um plano.

- Teremos?



O Plano


Plano, plano, talvez não, pensou a Maria, mas teriam efectivamente algo exequível, com uma relação directa ao objectivo final. “Em primeiro lugar, e o mais importante, é que estamos de acordo quanto ao destino a que queremos chegar e creio que estamos ambos empenhados na sua concretização”.


Mais, tinham já muito mais: tinham identificado as iniciativas para o ano que entrava e quem se iria responsabilizar para que se concretizassem. Tinham também condições para estabelecer acções concretas, indicadores e metas que os acompanhassem e permitissem manter o foco e obter feedback imediato do progresso.


“Daqui construirei um plano para me orientar, colá-lo-ei na porta do frigorífico e mantê-lo-ei defronte dos nossos olhos para que não nos desorientemos no caminho.”


2 visualizações

Claudia Pargana Consultores lda | claudia.pargana@gemba.pt |+351 916877416

  • Linkedin | Claudia Pargana